FAZ BEM SABER

Veja aqui a lista com todas as perguntas e respostas frequentes de NINHO®.

Faz Bem Saber

Estabilizantes servem para deixar os produtos em seu estado original por mais tempo. No leite, por exemplo, eles servem para manter a estabilidade das proteínas e fazê-lo durar mais.

Nosso jeito de fazer NINHO® evoluiu tanto que não precisamos colocar nenhum nome esquisito dentro da caixinha, garantindo a qualidade adequada pelo tempo necessário.

A Nestlé tem um compromisso com a melhoria da qualidade de vida e a contribuição para um futuro mais saudável, por isso, está sempre atenta a oferecer produtos com qualidade superior, sem perder o sabor. Paralelamente, há um movimento global indo em direção de soluções mais naturais e livres de aditivos. Cada vez mais, o termo “clean label” (rótulo limpo) ganha popularidade e se torna um tema de interesse público. Por esse motivo, a companhia tem investido na conversão e lançamento de produtos que estejam dentro desse conceito, que consiste em incluir apenas ingredientes conhecidos das pessoas. Além disso, globalmente, estamos comprometidos com o projeto “Simplifying Ingredient Lists”, que busca eliminar todos os corantes artificiais de nossos produtos, até 2020, além de intensificar a remoção em nossas receitas de ingredientes não conhecidos pelo público. No caso de nossos leites, há um trabalho consistente e profundo junto à cadeia produtiva que possibilitou a qualidade superior da commodity, que permite a retirada completa de estabilizantes.

O leite tem papel importante na maior parte dos lares brasileiros e seus benefícios são reconhecidos não apenas pelas pessoas, mas por profissionais de saúde, fazendo deste produto um item extremamente importante para atingir nosso propósito de melhorar a qualidade de vida e contribuir para um futuro mais saudável. Alinhado a isto, há mais de vinte anos, a Nestlé vem investindo intensamente na melhoria contínua da qualidade de sua cadeia produtora de leite, chegando a um nível de qualidade reconhecidamente superior e que permitiu a retirada completa dos estabilizantes de nossos leites UHT.

O segmento é extremamente importante para o brasileiro e para a Nestlé. Segundo dados Kantar 2017, a penetração de leites UHT nos lares do País chega a 93%, destacando-se a relevância no Sul e Sudeste. A Nestlé é líder na captação de leite no Brasil, sendo responsável pela compra de 2 bilhões de litros de leite e entrega 5 bilhões de copos fortificados todos os anos, fato que demonstra a relevância do segmento para a companhia, que investe consistentemente no setor.

A Nestlé está sempre estudando novas formas de melhorar a qualidade de seus produtos e há melhorias previstas no curto e longo prazo.

Globalmente, a Nestlé está comprometida com o projeto “Simplifying Ingredient Lists”, que busca eliminar todos os corantes artificiais de nossos produtos, até 2020, além de intensificar a remoção de ingredientes não conhecidos pelo público de nossas receitas. Além dos leites UHT, já temos outros produtos dentro deste conceito, no Brasil, como: NESCAFÉ Solúvel que é 100% café; as Aveias Nestlé que, inclusive, têm versões orgânicas; os Sopões Maggi, assim como o tempero granulado, NatuSabor, e os sacos para tempero Ideias Para Frango Suculento; o leite Condensado Moça; o Cacau em Pó Nestlé e Garoto.

Mais do que um desafio, quando falamos da remoção dos estabilizantes de todos os leites UHT Nestlé, estamos falando de uma jornada. A companhia é comprometida e reconhecida pela qualidade de seus produtos e este é um aspecto inegociável de tudo que fazemos. Por isso, há mais de vinte anos, intensificamos nosso trabalho junto à cadeia de leite, estando sempre próximos aos produtores para garantir excelência. Prova disso é que fomos os primeiros a “granelizar” a commodity, garantindo que o leite fosse rapidamente refrigerado, logo após a ordenha da vaca. Em 2003, mudamos as regras do mercado ao começarmos a pagar pela qualidade do leite e não apenas pela quantidade. Esse Sistema de Valorização da Qualidade passou a estimular nossos parceiros a focarem muito mais no nível de excelência da commodity do que no volume. Além disso, estamos sempre atualizando o Programa Boas Práticas na Fazenda que educa 100% de nossos parceiros sobre as melhores formas de agir para garantir os melhores resultados possíveis. Criado em 2005, este é um dos mais complexos e estruturados programas na cadeia leiteira do País.

Os leites Nestlé têm qualidade superior pelo fato de nossa busca por excelência começar desde a lavoura e da ordenha da vaca até a chegada dos produtos nas prateleiras, por meio de cuidados especiais com produtores rurais, unidades transformadoras e comerciantes ao redor do mundo. Nossos parceiros estão no centro da estratégia de Criação de Valor Compartilhado, que traz projetos e metas, que buscam garantir desenvolvimento adequado, o bem-estar das comunidades rurais e rastreabilidade e qualidade das matérias-primas. Atualmente, trabalhamos a cadeia do leite por meio do Programa Boas Práticas na Fazenda e o Sistema de Valorização da Qualidade, sendo relevante destacar o fato de coletarmos o leite dos animais todos os dias, garantindo que tenhamos sempre o insumo mais fresco possível. O resultado de todo esse trabalho é analisado pela Clínica do Leite, órgão de análise da USP que foi homologado pelo Ministério da Agricultura para a análise de leites, que afirma que os resultados médios de nosso leite têm qualidade superior a qualquer outro avaliado - os critérios considerados são Contagem Bacteriana Total, Contagem de Células Somáticas, Gordura e Proteína, sendo que a Nestlé obteve melhores resultados em cada um deles.

Não fizemos mudanças pontuais, mas graduais ao longo dos últimos vinte anos. Esta jornada começou quando fomos os primeiros a “granelizar” a commodity, garantindo que o leite seja rapidamente refrigerado, logo após a ordenha da vaca. Também somos responsáveis por um dos mais complexos e estruturados programas na cadeia leiteira do País, o Programa Boas Práticas na Fazenda que educa 100% de nossos parceiros sobre as melhores formas de agir para garantir os melhores resultados possíveis. Neste momento, não precisamos fazer nenhuma alteração no processo produtivo para retirar os estabilizantes, pois a qualidade obtida após nosso trabalho de longo prazo com os parceiros permitiu que nossos leites atingissem uma qualidade que dispensa o uso dos mesmos.

A cadeia de leites da Nestlé Brasil é uma das melhores do mundo e é capaz de atender à produção de todo o portfólio da companhia no mercado nacional.

Os estabilizantes são utilizados para ajudar a manter o produto estável, em seu estado desejado. No caso dos leites UHT, os estabilizantes têm a função de manter seu frescor o mais próximo possível de seu estado original, logo após sair da ordenha.

Estudos não apontam qualquer impacto, positivo ou negativo, no estado geral de saúde das pessoas por ingerirem estabilizantes.

A Nestlé está comprometida, globalmente, com o projeto “Simplifying Ingredient Lists” que busca de intensificar a remoção de ingredientes não conhecidos pelo público de nossas receitas, até 2020. Além disso, não há razão para incluirmos um aditivo que se tornou desnecessário frente à altíssima qualidade de nosso produto.

Para atingir o nível de qualidade que os leites da Nestlé têm, hoje, investimos fortemente em programas como o Boas Práticas Na Fazenda, Assistência Técnica aos Parceiros, Bonificação do Sistema de Valorização da Qualidade, além de pesquisas, mídia e outros serviços atrelados ao Plano de Marketing, somando aproximadamente R$ 27 milhões/ano para a conversão de toda a linha de leites UHT Nestlé.

Vemos a Nestlé como um player que está sempre puxando a qualidade da cadeia de leites para cima, visto seu histórico de inovação em prol da melhoria contínua desse insumo. Acreditamos que o fato de estarmos retirando os estabilizantes de toda a nossa linha de leites UHT vá estimular respostas de outras marcas que investirão nas mais diversas frentes, melhorando a oferta às pessoas como um todo.

A Nestlé é líder na captação de leite no Brasil, sendo responsável pela compra de 2 bilhões de litros de leite e entrega 5 bilhões de copos fortificados todos os anos, fato que demonstra a relevância da cadeia do leite para a Companhia, que investe consistentemente no setor. Este movimento de retirada dos estabilizantes se deve ao nosso compromisso com a melhoria contínua ao potencial de mercado promissor – que cresce ao redor de 30% ao ano de acordo com dados da Apex e USDA. Outros movimentos relevantes, feitos recentemente pela empresa, incluem o aumento da oferta de opções de alto valor agregado, como os Zero Lactose e Alto Teor de Proteína, além do investimento em tendências de consumo por meio da nova embalagem de MOLICO® Desnatado, com apenas 500ml.

A conversão da linha não implicará no aumento do preço aos consumidores, visto que esse movimento aconteceu de forma natural, com base em nosso trabalho contínuo junto à cadeia de leite. Nossos parceiros já recebem bonificações do Sistema de Valorização da Qualidade com base na análise qualitativa da matéria prima negociada conosco.

Sim, a nova linha substituirá, gradualmente, a anterior em varejistas de todo Brasil.

A Nestlé é primeira empresa do País a produzir uma linha completa e em larga escala de leites sem estabilizantes. Hoje, nossos 3.500 parceiros desta cadeia são capazes de nos oferecer matéria prima de tão alta qualidade que dispensam o uso de estabilizantes. É preciso um trabalho contínuo, comprometido e de longo prazo para que a produção de leite atinja esse nível.

Muito mais do que uma expectativa de vendas ou de Market share, o que estamos esperando com esses novos produtos é melhor atender as pessoas. Esse movimento está alinhado ao propósito da companhia, de melhorar a qualidade de vida e contribuir para um futuro mais saudável, e faz parte de sua visão, pois estamos fomentando toda a cadeia produtiva dentro do conceito com o qual trabalhamos de Criação de Valor Compartilhado.

  • 1.American Academy of Pediatrics. AAP’s Healthy Children website. Disponível em: https://www.healthychildren.org/English/ages-stages/Pages/default.aspx. Acesso em 31 Jan 2018.
  • 2.Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) – Fórmulas infantis de seguimento para crianças de primeira infância. RDC n° 44 de 19/09/11.
  • 3.Sociedade Brasileira de Pediatria. Manual de orientação para alimentação do lactente, do pré-escolar, do escolar, do adolescente e na escola. Departamento de Nutrologia, 3ª ed. Rio de Janeiro, RJ: SBP; 2012. 138p.
  • 4.Milestones. Center for Disease control and prevention – CDC. Department of Health and Human Services-USA. www.cdc.gov/gov/ActEarly. 23 jul/2018.